Arapuca (5o, VI, D2, E3, 160m)

Data da conquista

22/02/2012

Conquistadores

  • Naoki Arima
  • Roney DuNada
  • Fábio Chuck Nóia

Aproximação

Para saber mais sobre como chegar em Calogi, clique aqui!

A via Arapuca transcorre pela aresta sul (direita) da pedra. Para acessar a base da via,  a melhor forma é caminhar sempre beirando a pedra em direção a aresta. Não há uma trilha bem demarcada que leva a base da via. Há um pequeno totem de pedra no meio da mata indicando o ponto onde deve se quebrar à esquerda para acessar a base da via. O começo da via é numa pequena grota com um diedro à esquerda. Como a via começa em  móvel, não tem como ver a 1a chapeleta da base.

Equipo básico

Uma corda de 50m (se não descer pela via), 8 costuras longas, fita (120cm) e 2x Camelot #3 ou equivalente.

PS: Na 4a enfiada, antes da parada, há uma chapa com argola. Não é a parada da via. Essa chapa foi colocada porque durante a conquista ficamos sem chapa simples.

Para baixar a versão PDF do croqui, clique aqui!

1a enfiada – A primeira enfiada começa por um diedro em arco protegido em móvel (Camalot #3 x2) e depois saindo pela face no meio do diedro até a P1 num platô com mato.

2a enfiada – A segunda enfiada é uma prévia do que vem pela frente. São aproximadamente 35m em agarrência e agarras protegendo em chapas e árvores.

3a enfiada – A 3a enfiada é o filé da via. A enfiada transcorre em diagonal à esquerda em direção a aresta do Calogi e buscando um platô verde a 45m. Essa enfiada é inteiramente protegida com chapas. A P3 é um excelente lugar um lanche e curtir o visual. Isso se não estiver sendo castigado pelo sol…

4a enfiada – A última enfiada é o crux da via. A saída da enfiada é bem vertical e técnica. E depois da viradinho é só sair para o abraço, ou para a sombra, em uma longa diagonal à esquerda novamente.

Para descer da via

Após chegar na P4, suba caminhando à direita por uns 50m até chegar numa espécie de gruta com um bloco entalado. Passe por baixo do bloco, contorne a pedra e desça por uma trilha razoavelmente demarcada. Esse trecho é bem íngreme e por vezes faz-se necessário usar uma corda para auxiliar na descida. Assim que acabar a parte mais íngreme, siga caminhando pela crista até o ponto onde der para quebrar à direita.

 

Leia mais no blog

Assinar blog por e-mail

Junte-se a 36 outros assinantes

Fechar Menu