Guana nos olhos dos outros é refresco (5o, VII, A1, D2, E2, 160m)

Calogi - Serra - ES

Alt. 340m

Data da conquista

03/02/2014

Conquistadores

  • Caio Afeto
  • Naoki Arima
  • Zé Márcio

Aproximação

Para saber mais sobre como chegar em Calogi, clique aqui!

Para acessar a base da via, caminhe beirando a pedra em direção ao setor Excluídos. Logo após o setor, há alguns blocos grandes por onde a trilha passa por cima, depois desses blocos há uma vertente que leva a parte mais alta da pedra. Esse trecho é um trepa mato mais íngreme. Suba e direção a pedra e assim que encontrar a parede (não a principal) vire à esquerda até a base da via. Da base da via não é possível de ver as proteções fixas da via, somente o grande diedro.

Equipo básico

  • Uma corda de 60m (se não descer no meio da via);
  • 2 jogos de Camalot ou equivalente até #4. Se tiver o #5 ajuda!
  • 6 costuras;
  • Cliff de agarra para a 5a enfiada;
  • 1 jogo de nuts;
  • Fitas longas;
  • Fita de abandono caso desça da via antes da P4.

Croqui

_DSC2662-2

Guana nos olhos dos outros é Refresco (versão em PDF)

Guana_final

1a enfiada – A via começa num trecho de trepa-pedra até o primeiro grampo que fica num pequeno platô (15m). Depois segue pelo diedro até a parada que fica no topo de um bloco. Levar 2x Camalot #4 + fita longa para o grampo.

2a enfiada – A via segue pelo diedro até a parada dupla. É altamente recomendável que o segue use uma auto longa para se posicionar na base da fenda para dar a segue, evitando o efeito zipper no crux da saída. Levar todo o jogo de friend!

3a enfiada – A enfiada segue pela mesma fenda que agora forma uma chaminé com um teto, onde há uma chapeleta que protege a passada. O crux da enfiada fica depois desse tetinho, num lance em oposição. A parada dupla poderá estar bem oxidada. Ao lado esquerdo, numa parte mais protegida, há uma outra chapa para reforçar a parada.

4a enfiada – A enfiada transcorre atravessando o grande teto por baixo. Começa em artificial móvel, depois entra em livre nas chapeletas e volta a escalar em artificial até a parada dupla. Essa parada dupla é bem desconfortável por ser bem aérea e sem apoio.

5a enfiada – A via continua pelo diedro. Começa em artificial móvel, depois uma pequena travessia à direita para entrar em livre pelo trecho mais aéreo da via. Esse trecho está protegido com chapas. Pode ser passado em livre ou artificial em cliff de agarras. A parada fica logo acima do negativo num pequeno platô.

6a enfiada – A última enfiada continua seguindo a fenda em livre. Quando a fenda acabar, sair à esquerda até encontrar duas chapas. Depois entra num trecho sujo com cactus até a próxima chapa antes do cume. A parada fica dentro da mata em uma árvore.

Para descer da via

A partir da 4a enfiada a descida pela via fica bastante complicada. Da P4 é possível de descer até a P1 rapelando em pêndulo.

Do cume, a descida é feita caminhando por uma trilha pouco definida pelo colo sul da pedra.

Leia mais no blog

Nível 5…

Linha da via “Guana nos olhos dos outros é refresco”. Essa semana, o meu amigo DuNada me acusou dizendo que eu botava a galera na

A conquista que virou treino

Em 2010, eu, Afeto e Zé Márcio começamos a conquista de uma via tradicional na face norte de Calogi. A via, batizada de “Guana nos

Guano nos olhos dos outros é refresco

Naoki conquistando a primeira enfiada da via “Guano nos olhos dos outros é refresco”. Foto: Afeto Depois de ficar alguns meses off das escaladas, o

Assinar blog por e-mail

Junte-se a 36 outros assinantes

Fechar Menu