Itaguaçu - ES

Alt.620m

Pedra do Pontal

Tempestade Solar

4o, V SUP, E3, D2, 480m

Data da conquista

08/2018

Conquistarores

Naoki Arima (solitária)

Como chegar

Saindo de Vitória, siga em direção ao norte do Estado pela BR-101. Em João Neita, entre na BR-259 em direção à cidade de Colatina.

Atravesse a cidade de Colatina em direção ao bairro Luiz Iglesias, sempre margeando o Rio Doce pela margem direita. Cruze o bairro e siga pela estrada de chão por mais 7km até encontrar um entrocamento. Vire à esquerda e siga em direção à Santa Joana, Itaimbé e Itaguaçu. Do entroncamento são mais 15km de estrada de chão até a entrada que dá acesso ao sítio que leva à base da via. De Vitória até o sítio são 160km, totalizando aproximadamente 2h30 de viagem.

Solicite passagem na casa branca da direita, cruze a ponte que fica no outro lado e siga em direção ao curral. Passe o curral, cruze o riacho e caminhe pela aresta do grande costão até a pedra ganhar inclinação.

Chegando pela aresta da pedra, a base da via está no tufo de mato com pedra da esquerda. Há um pequeno totem marcando o início da via. Da casa branca até a base da via são aproximadamente 20 minutos de caminhada.

Mapa

Filtrar por

Distância de Vitória

160km

Caminhada

20min.

Face

Nordeste

Equipos

2 cordas de 60m; Um jogo de Camalot do #.3-#5; Fitas longas; 7 costuras.

Descrição das enfiadas

1a enfiada – A via começa no tufo de mato com pedra à esquerda da grande crista. Na base desse tufo, há um pequeno totem de pedra marcando o início da via. A P1 não é visível da base, assim como não há proteções fixas para orientação. A partir do tufo, suba pelo costão aproximadamente 30m e logo em seguida à esquerda em leve diagonal até encontrar a parada. II, 60m.

2a enfiada – Essa enfiada também não conta com proteções fixas e a parada igualmente não é visível da P1. Suba reto por aproximadamente 30m até encontrar um veio de pedra mais lisa onde na sua base forma uma diagonal à esquerda que leva diretamente até a parada. III, 60m.

3a enfiada – A enfiada segue em diagonal buscando a base do grande diedro. Da parada é visível a única proteção da enfiada. Depois dessa proteção, segue em horizontal até a base do diedro. No início do diedro há a possibilidade de proteger com material móvel (peças médias). A parada está um pouco mais acima do diedro. III, 60m.

4a enfiada – Enfiada pelo diedro/chaminé protegendo em móvel até a P4 que está depois de um grande bloco entalado. IV SUP, 35m.

5a enfiada – A enfiada é a continuação do diedro até o fim toda protegida em móvel. A parada está depois da virada do diedro. IV, 35m.

6a enfiada – Enfiada fixa de 60m com 7 proteções. Escalada em agarrência com alguns lances longos que exigem leitura para escolher o melhor caminho. V SUP, 60m.

7a enfiada – A enfiada sai à esquerda para vencer o lance mais vertical até encontrar a primeira proteção. Depois, a escalada fica mais fácil em direção a um platô com mato. No meio da enfiada, num trecho mais vertical, há mais uma proteção fixa. A parada está no lado esquerdo do platô. V, 60m. 

8a enfiada – Enfiada sem proteção fixa. Começa fazendo uma horizontal à direita buscando um diedro falso e depois segue em diagonal à esquerda até um platô com mato onde está a parada dupla. III, 60m.

9a enfiada – Da parada, a via segue à esquerda dominando uma série de platôs. Da base é possível ver a única proteção fixa da enfiada na virada da pedra. A parada está mais a cima, ao lado de um pequeno tufo de mato. Não confundir com a mata que está logo após a virada. IV, 55m.

 

Read more

Descida

Opção 1 – Descer pela via usando 2 cordas de 60m;

Opção 2 – Descer caminhando conforme o mapa. 1h15 de caminhada.