Behne

Ivoti - ES

Alt. 60m

Encravado no famoso vale do “Buraco do Diabo”, município serrano de Ivoti, o campo-escola Behne é, atualmente, o point de escalada mais freqüentado do estado. Os arenitos do Behne contam atualmente com 53 vias esportivas de 4º a 9c, todas protegidas com chapeletas e paradas duplas. Qualidade esta, alcançada graças aos trabalhos de regrampeação e manutenção realizados pela Associação Gaúcha de Montanhismo (AGM) entre os anos de 2002 e 2003.

Em 2012 foi realizado um novo trabalho de manutenção das vias e as chapeletas das vias mais frequentadas foram substituídas por proteções químicas.

HISTÓRIA

O Campo-escola Behne foi “descoberto” em abril de 1995 quando um grupo de escaladores locais (Naoki Arima, Daiti Hamanaka, Leandro Feiten…) resolveu fazer mais um rolé pela região conhecida como o Buraco do Diabo (Ivoti). Este mesmo grupo já vinha desbravando as encostas íngremes deste vale a procura de pedra para escalada e rapel já há algum tempo. No entanto, havia uma área que nunca havia sido explorada por estar em frente a casa do proprietário de toda a região, o Sr. Behne. Como nós tínhamos receio do Sr. Behne, por sempre entrar nas terras dele sem permissão, nunca nos atrevemos a passar em frente a casa dele. Até porque na casa do Sr. Behne sempre tinha uns cães bravos.

Neste dia, o grupo foi para uma cachoeira que fica logo adiante a propriedade do Sr. Behne para fazer um rapel. E na volta, o grupo resolveu retornar costeando a pedra. E para a nossa surpresa acabamos chegando onde fica atualmente o Setor 3. Logo de cara sabíamos que tínhamos encontrando o pote de ouro, pois vimos o potencial do local.

A primeira via que abrimos no local foi a Contra-proposta (pelo menos parte dela) em top rope. Depois abrimos a Negativa Dupla (6o), Pig (6o), Mouse (6o), Biton (6o) e assim por adiante.

Nos primeiros anos, nós não tínhamos grampos, então todas as vias foram abertas em top rope, sempre usando ancoragens naturais. Então era comum o nosso dia de escalada começar com uma caminhadinha até o topo das vias para montar todos os tops. Assim a pedra ficava “equipada” com diversos top ropes à disposição.

Uma das contribuições mais importantes para o desenvolvimento do Behne foi a visita dos escaladores Cristian Maciel e do Nativo que abriram as vias Escraquinha (7c – na época) e Ilusão Fatal (7b) igualmente em top rope. Essas vias foram durante muito tempo a menina dos olhos da galera local por se tratarem de vias bem duras.

 

O uso das proteções fixas começou somente quando conhecemos o escalador Jonas Schilling em meados de 1996. Nesse mesmo ano foi organizado por nós, um curso de escalada para os Desbravadores. E para preparar o local abrimos algumas vias fáceis para servir de via-escola (Day light primeira parte, Epilepsia primeira parte e Monoton primeira parte), e foi nessa ocasião que começamos a bater os primeiros grampos. A partir dai, o uso de grampos e chapeletas se tornou comum, e aos poucos, fomos equipando as vias já abertas.

Em 2002, o Campo-escola recebeu a primeira grande manutenção com a troca de todos os grampos por chapeletas num grande mutirão organizado pela AGM – Associação Gaúcha de Montanhismo. Vale registrar que esse foi um trabalho inédito e pioneiro no estado (e até no Brasil).

E 10 anos depois, em 2012, foi realizado outro mutirão de manutenção das vias do Behne, onde as antigas chapeletas foram substituídas por chapeletas de inox fixadas com cola.

Atualmente o CE Behne é a principal porta de entrada para quem está começando no esporte. E também pelo fato de se encontrar a apenas 1h da capital, o local é bastante frequentado nos finais de semana.

Comparando com o que já foi o Behne há 20 anos, dá para ver que muita coisa mudou nesses anos. O fato que mais chama a atenção, e preocupa, é o grande fluxo de escaladores na pedra e seus impactos negativos. Atualmente as trilhas estão bem mais abertas e as bases das vias muito mais desmatadas; e em diversas vias, a rocha encontra-se bem erodida pelo uso excessivo (por exemplo a Mouse).

Esperamos que a nova geração e os frequentadores saibam conviver em harmonia com a natureza e saibam usufruir do meio tentando minimizar ao máximo os impactos para que tenhamos uma vida longa para o nosso querido Behne.

COMO CHEGAR

De automóvel: Da capital gaúcha, Porto Alegre (POA), são aproximadamente 1h 20min. de carro pela BR-116 em direção à serra. Saindo de POA tome a BR-116 em direção à serra gaúcha passando por Novo Hamburgo, Ivoti e na altura do km 226 pegue o trevo de acesso à Colônia Japonesa. A partir daí basta seguir as placas que levam ao Camping do Behne (3,5km).

Uma vez no camping, a trilha de acesso às vias começa junto a uma placa informativa perto da entrada do camping. Subindo por esta trilha, o primeiro setor que aparecer à direita é o Setor 1, os outros setores estão à esquerda seguindo a trilha mais uns 20m (Setores 2 e 3 respectivamente)

De ônibus: Na rodoviária de Porto Alegre saem regularmente ônibus que levam até a entrada da Colônia Japonesa. Para isso compre uma passagem para a cidade de Dois Irmãos e peça ao cobrador que deseja desembarcar na entrada principal da Colônia Japonesa. A partir daí e preciso caminhar mais 3,5km seguindo as placas que levam ao camping do Behne É preciso se informar com antecedência os horários de retorno, pois o último ônibus para POA passa cedo.

Wendling  – Clique aqui para consultar os horários de onibus.

Para visitar o site da rodoviária de Porto Alegre, clique aqui!

Dê um zoom out no mapa acima para ver a localização da parada de onibus.

 

Mapa

Filtrar por

Melhor época
Janeiro 40%
Fevereiro 50%
Março 60%
Abril 70%
Maio 80%
Junho 60%
Julho 40%
Agosto 40%
Setembro 50%
Outubro 60%
Novembro 70%
Dezembro 50%

Melhor época

A melhor época é no outono quando a temperatura é mais amena. No resto do ano o calor e a chuva são os grandes empecilhos para uma boa escalada. No início da primavera chove bastante.

Onde ficar

A área de escalada está dentro da propriedade do Sr. Behne que também mantém uma área de camping. O camping oferece um pequeno bar, banheiro, chuveiro quente, energia elétrica e churrasqueira. http://www.campingbehne.com.br/ CEL: 51- 9834-7676

Vias

Aproximadamente 53 vias. A graduação varia de 4o até 9c, prevalecendo as vias de 7o grau.

Rocha

Arenito. Prevalecem agarras em regletes, buracos e batentes.

DICAS

No verão um bom repelente é bem-vindo, principalmente para escalar no Setor 3;
Para acessar os Setores 2 e 3, use a trilha nova. É mais rápida e ajuda a preservar a trilha;
Escale pela manhã ou a tardinha, pois o sol costuma castigar;
Se você não está acostumada com rocha abrasiva, leve esparadrapo, vai ser útil no final do dia;
Não deixe de experimentar o sanduíche natural do camping.

Croqui

Fotos

Leia mais no blog

X Caldeirão do Behne

Para comemorar o fim do El Ninõ, a Associação Gaúcha de Montanhismo, estará realizando no primeiro final de semana de dezembro, a 10a edição do

Read More »

Carna Climbing!

^ Derek trabalhando a via “O Ateu” (8b) em Cotiporã. Eu adoro passar o Carnaval no Rio Grande do Sul, simplesmente porque lá não existe

Read More »

IX Caldeirão da AGM no Behne

A Associação Gaúcha de Montanhismo estará realizando no primeiro final de semana de dezembro, a 9a edição do, já consagrado, Caldeirão da AGM. Na minha

Read More »

Caldeirão 2013!!!!

  O tradicional evento de final de ano da escalada gaúcha está na sua sétima edição! No ano passado, chamaram um chinelão para palestrar e

Read More »

Caldeirão do Behne 2012

Aconteceu no última final de semana, a 6a edição do tradicionalíssimo Caldeirão do Behne em Ivoti – RS (e não a 4a edição como aparece

Read More »

Timelapse Behne

Dando uma fuçada pelo Vimeo achei esse vídeo feito pelo Gustava lá em Ivoti, mais especificamente no Setor 3 do Campo-escola Behne. Bem legal!! climbing

Read More »
Fechar Menu