Escalada Tradicional em Pancas

O termo “escalada tradicional” vem da tradução do inglês tradicional climbing, ou trad climbing que lá fora tem uma definição diferente da nossa. Na Europa e nos Estados Unidos, quando alguém te convida para fazer um trad climbing, a pessoa estará te convidando para escalar uma via em móvel. Se uma via for de várias enfiadas com proteções fixas, eles chamam de multi-pitch climbing. Assim, não vai achar nos textos tradicional climbing in Verdon, mas sim multi-pitch climbing in Verdon porque nesse pico da França as vias são, em geral, com proteções fixas.

No livro A escalada Brasileira de Antonio Paulo tem um capítulo que fala sobre isso e a origem desse adaptação para nossa realidade. Vale a leitura!

Amanhecer em Pancas.

Todo esse “rodeio” foi só uma introdução para o título deste post “Escalada tradicional em Pancas”. Nesse caso estou me referindo ao termo no sentido stricto sensu: ou seja em móvel! Poderia dizer escalada tradicional móvel, mas seria uma redundância.

Parada quadruplicada porque a rocha é estranha.

Pancas talvez seja a cidade mais conhecida do Espírito Santo quando alguém fala de escalada nesses lados, mas tem algumas coisas engraçadas. Por exemplo, não há escalador (ativo) em Pancas! A maioria dos escaladores do estado não vai a Pancas escalar nos finais de semana. Mesmo assim, lá tem 86 vias! É a terceira cidade com maior número de vias do estado. Vide gráfico abaixo. Se contabilizar somente as vias “tradicionais”, fixas mais móveis, sem dúvida, Pancas é a cidade que tem mais vias “tradicionais” do estado. Dessas, 68 são vias “tradicionais” e 18 esportivas.

Destrinchando as 68 vias, 52 vias são vias dominantemente em fixa (multi pitch) e apenas 16 são em móvel, ou pelo menos grande parte das enfiadas protegidas com peças.

São tão poucas que dá até para enumerar:

  1. Bote seus Dreadlock’s para balançar
  2. Sorriso Amarelo
  3. Sol Invicto
  4. Cor de Mula Quando Foge
  5. Onde os Amigos têm vez
  6. Olho de Gato
  7. Boca Seca
  8. Fissura das Deusas
  9. Gol de Placa
  10. Normal do Pico Bier
  11. Pote de Ouro
  12. Totalmente horizontal
  13. Paredão Carlos Bernardo
  14. Arca de Noé
  15. Deserto Vertical
  16. Natureza na Passarela

*Vias não finalizadas não foram contabilizadas. A Ch. Brasília foi classificada como fixa, pois na conquista foram utilizados apenas grampos, embora atualmente seja utilizado material móvel de apoio.

A principal razão para essa desproporcionalidade é, sem dúvida, a falta de fendas que está ligada a geologia antiga do Brasil. Em países com uma geologia mais atual, como nos Alpes ou nos Andes, onde as montanhas seguem crescendo, há muito mais fendas. E esse não é um “problema” exclusivo do Espírito Santo.

Já vasculhei bastante aquela região, assim como muitas outras pessoas, em busca de linhas móveis e confesso que é difícil, trabalhoso e muitas vezes bem frustrante. Quando achamos alguma coisa, em geral, são só pequenos trechos. Como por exemplo a via “Presente da Águia” que tem quase 300m de escalada e apenas 30m de fenda em móvel. No outro extremo temos aquelas vias de aventura que é perrengue puro, onde rola usar móvel, mas num outro contexto: mais trabalho, menos desfrute como a “Deserto Vertical” ou “Cor de Mula Quando Foge” que seguem sem repetição.

Nessa linha “escalada móvel de desfrute”, eu acho que a primeira via foi a “Sorriso Amarelo” que foi conquistada somente em 2012 por escaladores do Paraná. Depois, aos poucos, vieram outras, mas sempre em menor proporção em relação as tradicionais fixas.

Fazendo um molhinho de proteção.

Sou muito suspeito para falar porque são vias minhas, mas das vias em móvel no “estilo desfrute”, eu recomendaria essas em ordem:

  1. Pote de Ouro
  2. Fissura das Deusas
  3. Olho de Gato
  4. Gol de Placa
  5. Onde os Amigos têm vez
  6. Boca Seca

Nenhuma dessas vias são muito longas, a mais longa é a “Olho de Gato” que tem 330m. As outras tem na ordem de 200m e dá para escalar tranquilamente em meio-turno, sem pressa. Sempre é bom lembrar que são vias em móvel, por isso a escalada é mais demorada. Aqui você pode escalar 700m em 2h se for um costão com chapas ou 120m em 2h se for em móvel, vai depender da complexidade e familiaridade com as peças.

Então a dica é: se você escala em móvel, da próxima vez que vier para esses lados, traga as peças! Dois jogos é mais do que suficiente e quando estiver cansado de escalar “agarrência”, reserve um dia para brincar de peças!

Enfiada em móvel da via Fissura das Deusas.

Comentários

Uma resposta em “Escalada Tradicional em Pancas”

Interessante o texto, embora seja para quem uma noção em escalada. Agora, me diga, como fazer uma escalada desss? Há excursões ou incursões de escaladas?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: