Há uns 20 anos atrás, o universo da fotografia entrava em uma nova fase com a chegada da fotografia digital (a primeira DSLR foi a Kodak DCS 100). Na época, muito se falou sobre as vantagens, desvantagens e os impactos das digitais sobre os filmes. Muita gente gostou da idéia, mas por outro lado, vários fotógrafos fizeram cara feia para a novidade. Normal…

Hoje, a grande maioria dos fotógrafos fotografa com câmera digital. Com os avanços da tecnologia a fotografia digital finalmente conseguiu  alcançar a qualidade esperada de um filme. É claro que ainda há exceções, mas a verdade é que a grande massa está fotografando com câmera digital.

Inclusive saiu esses dias, um documentário na National Geoghaphic TV sobre a história do último rolo de filme Kodakchrome. Para quem não sabe, esse filme foi um ícone da fotografia analógica. Recentemente o fabricante encerrou a sua fabricação, assim como o último laboratório que revelava o Kodakchrome porque a Kodak suspendeu também a fabricação da emulsão. O documentário fala como o consagrado fotógrafo Steve McCurry (aquele fotógrafo da menina afegã) fez para gastar esse último rolo ao longo de 2 meses! Muito massa, vale a pena assistir!

E em 2008 com o lançamento da Nikon D90 (que por sinal já parou de ser fabricada) o mundo da fotografia entrava em uma nova era, a era das DSLR´s com a função vídeo . A D90 revolucionou o mundo ao apresentar a primeira câmera digital com a função de gravação de vídeo em alta definição. E isso abriu um grande de leque de oportunidades e possibilidades no ramo da fotografia, possibilitando fazer filmes de alta qualidade utilizando um equipamento relativamente barato. Vale lembrar que uma D90 custa uns U$ 800, enquanto que uma filmadora de ponta custa qualquer coisa em torno de U$ 80.000. Está certo que a filmadora vem em qualidade de cinema, mas para uso em internet, que é o grande lance do momento, essas câmeras cumprem perfeitamente o seu papel.

Quando começaram com esse papo de filmagem com a câmera, eu estava no grupo dos céticos e conservadores que achava que a câmera era para fotografar e não para filmar. Até porque, para isso  que existia a filmadora, ora bolas! Aos poucos fui me rendendo e aceitando a ideia de que o futuro da fotografia estava na fotografia dinâmica. A tendência é que no futuro as revistas sejam mais dinâmicas, interativas e com foto-vídeos. É só ver os tablets que estão chegando com força total.

Mas continuo gostando muito da fotografia do jeito que é hoje, creio que tenho muito que aprender ainda, muito que aprimorar e amadurecer, mas acho legal dar algumas incursões nesse ramo. Embora o cinema siga os mesmos princípios da fotografia em vários aspectos, o cinema é muito mais coletivo. A fotografia é uma busca solitária pela imagem perfeita, já o cinema é feito em grupo, visto com muitos olhos e o resultado é o esforço de uma equipe de trabalho. Na minha opinião nesse é grande diferencial e obstáculo entre os dois ramos.

Bom, todo esse blá blá é para apresentar a minha conta no Vimeo. Não é nada espetacular, longe disso. Na verdade são testes e pequenas brincadeiras que estou fazendo com a câmera. Espero que ao longo do tempo vá evoluindo sem deixar a fotografia de lado.

O primeiro vídeo é literalmente uma brincadeira que fiz com a D90 enquanto que o Felipe trabalhava a via Batida Macabara. O segundo vídeo foi editado usando o material que fui captando ao longo do dia em Calogi. Depois, quando cheguei em casa, vi os resultados e fiz um filminho com a kdna da Lu na Megatron! O filme não ficou tecnicamente grande coisa, mas o que mais gostei nesse vídeo foi a vibe da escalada esportiva. Quem já mandou uma via sabe como é… E quem conhece a Lu sabe o quanto ela almejava essa kdna!

Enjoy!

 

Postagens relacionadas

2 Responses

  1. Braaavooo!!! Pelas primeiras experiências já percebi que em breve teremos mais filmes premiados feitos aqui no ES.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.