Pestare

Modéstia à parte, a minha mãe é um às na cozinha! Meus amigos que o digam. Tenho uns amigos que gostam ir lá em casa só para provar uns pratos exóticos da mamãe.

O meu irmão é um outro que adora pilotar um fogão. Está até estudando para ser chef de cozinha!! Uma vez  flagrei uma conversa entre a minha mãe o meu irmão em japonês. Era qualquer coisa do tipo: esse camarão, se for preparado assim fica bom, o molho tal usando tal coisa fica muito bom desse jeito, e assim vai… E eu só ouvindo, ou melhor comendo…

Mas para não desmerecer os Arimas, às vezes tento me puxar na cozinha para não ficar muito atrás…

A sugestão de hoje é o molho pesto que na minha humilde opinião é disparado o melhor molho para massas. Sei que muita gente não compactua da mesma ideia, mas creio o culpado seja aqueles molhos caríssimos e horríveis que vendem nos supermercados. Chamar aquilo de pesto é mesmo que chamar o molho ponarola de molho ao sugo. Para se ter uma ideia, o pesto de supermercado vem até com batata picada para fazer um volume…. Uma verdadeira heresia. É como sushi com cream cheese

Então ai vai mais uma receita simples, barata e incrivelmente saborosa:

Ingredientes:

– 1 xícara de manjericão – a receita original diz que o manjericão tem que ser de Genônva (ITA) senão não presta, mas um bom manjericão italiano (das folhas grandes) quebra um belo galho;

– 2 dentes de alho;

– Queijo parmesão (o original é com Parmigiano Reggiano);

Pecorino , leia-se queijo de ovelha (esse queijo é caro, por isso fiz sem);

– Sal grosso (pode ser sal normal, mas não é original);

– Pinolli – o pinolli é um pinhão italiano que pode ser encontrado nas casas de produto importado. Pode ser substituído por pinhão, castanha de caju ou castanha do Pará. Só dizem que com nozes fica horrível. Eu usei castanha do caju;

– Azeite do oliva extra virgem (Azeite de oliva! Por favor, nada de óleo de girassol, Galo ou qualquer coisa assim)

A receita:

O ideal, e o original, é preparar todo o molho num pirão (Aliás, a palavra pesto vem de pestare que significa triturar, amassar em italiano). Nada de liquidificador ou processador, isso seria uma heresia gastronômica. Como eu não tenho um pirão e para não cometer tal heresia, usei uma cumbuca de porcelana e o cabo da faca para amassar os ingredientes.

Comece esfregando (não socando) o sal e o alho até formar uma pasta. Depois acrescente o manjericão (sem os talos) até formar uma pasta verde que irá impregnar a cozinha com o seu aroma característico. Acrescente os queijos (ralados) e em seguida o pinolli até formar uma pasta homogênea. Por fim vá acrescentando azeite de oliva à seu gosto.

E pronto!

A massa original para essa receita é o fusilli, mas sou muito fã incondicional do espaguete caseiro, então usei um que fiz esses dias.

Buon appetito!!

TAGS:

Este post tem 2 comentários

  1. boa naoki, é um dos melhores molhos na minha opinião tbm,
    fica bom na janta e,talvez, melhor ainda no cafe da manhã com pão!

  2. Caramba, essa eh nova! Sabia do sanduiche de lasanha dormido, mas de pesto nao… Se, se sobrar, um dia provarei no cafe da manha. Abs

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Fechar Menu