10 coisas que todo escalador deveria fazer antes de morrer

Esses dias, compartilhei no Facebook, sim ainda tenho uma conta, um artigo da revista americana Rock and Ice sobre “Seis coisas que todo escalador deveria fazer antes de morrer” escrito por Duane Raleigh em 2014. Achei aquilo o máximo, então resolvi fazer a minha lista que agora compartilho com vocês!

1- Subir uma montanha

Muita gente torce o nariz para isso, principalmente a galera da “esportiva” ou dos boulders, mas o fato é que a raiz do nosso esporte é o montanhismo clássico, o resto é apenas “variação sobre o mesmo tema”. Ok, é sofrido, cansativo e penoso, mas garanto que quando se está lá no ponto mais alto, tudo isso some e o nosso corpo é tomado por uma energia e paz interior indescritível.

Arenales, Argentina.

2- Fazer uma via tradicional

Há quem só escale “trads”, mas o fato é que a maioria começa nas esportivas e assim fica por muito tempo, dentro da “zona de conforto” com a desculpa de que “as vias tradicionais são fáceis” ou “as vias tradicionais são muito expostas. O legal da escalada tradicional é que ela tem a capacidade de expor a sua verdadeira face e se você quer saber quem é você de verdade, encorde-se no sharp end e toca para cima! Será uma escalada de auto-conhecimento!

Eric no primeiro lance da via da via “Entre a Cruz e o Tubarão” em Afonso Cláudio.

3- Trabalhar um projeto

Trabalhar um projeto é um processo de superação! Seja numa esportiva ou numa tradi. É um processo de aprendizado que, se tudo der certo, irá se concretizar numa grande conquista pessoal. Se não der certo, é porque o projeto ainda não chegou ao fim!

Luciola no crux final da via “Linha Final” (8b).

4- Conquistar uma via

Eu sempre digo, escalar uma via é uma coisa, conquistar é outra. É quase uma outra modalidade. Há quem só conquiste e é um tarado por isso. Conheço muita gente assim. Por outro lado, tem gente que nunca conquistou uma via, mesmo escalando há mais de uma década. Conquistar uma via é uma arte maravilhosa! Com certeza é um processo pesado e muitas vezes bem oneroso. E ainda corre o risco de ouvi que “a via ficou muito mal protegida” ou que “o grampo poderia ter ficado mais para esquerda…” Abrir uma boa via não é fácil, exige conhecimento, olhar apurado e acima de tudo sorte! Mas se tiver tudo isso, há a chance de abrir uma via comparável a uma obra de arte!

Parada móvel bidirecional.

5- Dormir no cume de uma montanha

Nenhum lugar no mundo é mais bonito do que o cume de uma montanha. Estar lá é sempre motivo de alegria. Se puder bivacar então… Dormir vendo as estrelas, ouvir o som do silêncio e curtir bons momentos na montanha ao lados dos amigos é uma experiência que você leva para vida. Item obrigatório! Assim como levar uma casaquinho e um bom saco de dormir.

Panorâmica da Serra das Torres. Cume do Pico do Farol.

6- Transmitir conhecimento a um novato

Se um dia você aprendeu a escalar é porque alguém perdeu parte do seu tempo para te ensinar. Aprender é muito importante, mas também faz parte do nosso aprendizado, passar o conhecimento para frente (sem cobrar por isso). Boas técnicas, bons modos e o verdadeiro espírito da montanha! Passe adiante!

Móveis em ação.

7- Adotar uma área de escalada

Gostamos de inflamar o peito e dizer que devemos proteger a natureza, mas na prática o que você faz de verdade? Adotar uma montanha ou uma área de escalada é uma forma de fazer algo por uma causa maior. Em geral, as nossas áreas de escalada e montanhas estão à mercê da sorte. Tudo depende do trabalho voluntário de alguém para que o lugar fique organizado. Arrumar a trilha, fazer a manutenção das vias ou mesmo fazer um trabalho social com o proprietário das terras são ações simples com grande impacto.

Acampamento em Bridger Jack.

8- Fazer uma viagem internacional

Viajar para fora do país e conhecer uma nova área de escalada é uma das coisas mais legais que um escalador fanático sonha. É claro que envolve tempo e dinheiro, mas com um pouco de planejamento e organização as coisas podem estar mais perto do que nunca. A Argentina, por exemplo, está ali no lado. Conhecer uma área nova, fora do país, escalar com pessoas de culturas diferentes e pensamentos diferentes é uma das melhores formas de quebrar paradigmas e ampliar o horizonte.

Escolhendo uma via em Wall Street.

9- Conhecer uma área de escalada antiga

Uma via, ou uma montanha sempre esteve lá e assim permanecerá por muito tempo, mas as pessoas que por lá passam mudam com o tempo. Por isso, conhecer a história do próprio esporte é fascinante. Se você mora perto e frequenta uma área de escalada antiga, sinta se privilegiado, senão, não deixe de conhecer uma área de escalada antiga para respirar um pouco a história do montanhismo.

Felipe na via PCC (9a).

 

10-Entrar numa roubada

Eu acho que a vida não tem graça se você não tiver boas histórias para contar no final. E de tudo que o esporte tem a nos oferecer de experiência, sem sombra de dúvida, as roubadas serão as mais memoráveis.

Ninguém escala para entrar em apuros, até porque isso pode ser perigoso, mas às vezes imprevistos acontecem. Quem gosta de viver no limite, sempre corre o risco de passar um pouco a tênue linha e entrar em apuros. Mas, mais importante do que não entrar em apuros é saber sai-los com segurança e bom humor. Aliás, o segredo da roubada é o bom humor!

Início da caminhada sob chuva… Mt. Fuji.

TAGS:

Este post tem 3 comentários

  1. Amei! Só falta dormir no cume de uma montanha.. dormi no quase cume, mas não no topo!

  2. Hahahaha! Essa é fácil! Sucesso!

  3. Muito bom texto e dicas amigo Naoki. Vi que já fiz tudo bem ir tem na lista, mas espero morrer bem tarde ainda e na montanha ou perto dela???

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Fechar Menu