A polêmica tirolesa no Morro do Moreno

  • Setor da Testa, Morro do Moreno.

Atualizado em 12/08/2019

Parece que 2019 não está sendo um ano muito bom para escalada. Toda semana recebemos alguma “bomba” e a última foi a notícia de que, uma empresa privada, irá instalar uma tirolesa de 500m de extensão no Morro do Moreno em Vila Velha – ES.

Para saber mais sobre este “investimento”, leia aqui!

Para quem não sabe, o Morro do Moreno, além de ser um dos cartões-postais da Grande Vitória, é o berço da escalada esportiva do Espírito Santo. No início da década de noventa, as primeiras vias foram conquistadas e desde então o local vem sendo frequentado por escaladores da região e até mesmo de fora do Estado e país.

Conheci o Morro do Moreno a 12 anos trás, quando vim aqui a trabalho. Inclusive este foi o primeiro lugar que me apresentaram. Lembro que foi num sábado ensolarado e bem agradável. Como é de praxe até os dias de hoje, pela manhã, o Maurício “P.A” me levou para o Setor da Testa que fica na sombra, justamente no setor por onde passará a tirolesa.

Naquela época, o Morro do Moreno era um lugar tranquilo, frequentado por escaladores e alguns amantes da natureza, mesmo assim, já havia entre os escaladores locais, um grande senso de preservação. Inclusive, anos mais tarde, a Associação Capixaba de Escalada solicitou a todos os escaladores que não abrissem mais vias no local para minimizar o impacto. Ações como o “Dia da Montanha Limpa”, destinadas à remoção de pichações e coleta de lixo também foram e ainda hoje são frequentemente organizadas pelos escaladores.

Via Demolidor (Vo), Morro do Moreno, Vila Velha

No entanto, nos últimos anos, com a moda outdoor, o Morro do Moreno sofreu um boom catastrófico com uma invasão sem precedente de pessoas que buscam uma falsa experiência “eco” subindo o Morro em busca do selfie perfeito para garantir muitas curtidas nas redes sociais. Se não bastasse, empresas ditas radicais começaram a explorar o local para vender falsas vivências eco-radicais em troca de R$20,00. Nesse momento, o Morro do Moreno virou uma balbúrdia. Aos domingos é praticamente impossível escalar lá. Gente vertendo de todos os lados, porque as trilhas não são bem demarcadas; Lixo para todos os lados, além de gente gritando “uhuuuuu”.

Nessa onda, no ano passado, a mesma empresa que irá instalar a tirolesa, montou uma tirolesa temporária partindo do Setor da Boca para Testa. Nos dias que eles operavam (lucrando) era praticamente impossível escalar na Testa. Era gente gritando sob a cabeça a toda hora. Isso sem contar as cordas que jogavam e o risco de outros objetos caírem sob o setor. Os escaladores estavam sendo expulsos de onde sempre frequentavam em nome do “progresso turístico em Vila Velha”.

E agora, a mesma empresa conseguiu junto à Prefeitura de Vila Velha a autorização para instalar o empreendimento e explorar comercialmente a atividade durante 5 anos, indo contra o Termo de Ajuste de Conduta de 2001 entre o Ministério Público e o Município de Vilha Velha que diz:

O MUNICÍPIO DE VILA VELHA compromete-se a não conceder nenhum tipo de licença, autorização, alvará ou outro nome que se dê para a construção de quaisquer imóveis, benfeitorias, empreendimentos, etc na Área de Preservação Permanente no MORRO DO MORENO.

Sabendo da polêmica que isso geraria, eles fizeram todos os tramites no “mocô” e nós só ficamos sabendo na semana passada, quando começaram a instalar os guarda-corpos no acesso ao Setor da Testa.

Moradores locais do Morro do Moreno.

Para nós que somos escaladores e buscamos a harmonia entre o homem e a natureza de forma responsável, esse tipo de intervenção e empreendimento vai contra os princípios da ética do esporte. Além disso, embora eles afirmem que não, o empreendimento está em uma Área de Preservação Permanente, o que vai contra o senso do espírito “turismo ecológico”.

MORRO DO MORENO, situado na Praia da Costa, Município de Vila Velha/ ES, constitui local de grande beleza e interesse paisagístico e turístico sendo também considerada Área de Preservação Permanente, conforme art. 3º, item “e” e ‘h”, da Lei n.º 4.771/65, art. 188, inciso I, letra a da Lei Municipal n.º 2.621/90

Tirolesas são legais, nada contra, mas construir numa APP, que já está saturado de gente, onde não há nem uma estrutura básica é no mínimo uma afronta à natureza. O Morro do Moreno já não suporta mais tanta gente nos finais de semana. Aquilo está parecendo um shopping ao ar livre, onde cada um faz o que quer porque o Estado não está presente. E quando ele se faz presente, libera um investimento desta natureza que traz mais malefícios à natureza do que benefícios. Benefícios estes, segundo a prefeitura, de que o local vire uma atração turística impulsionando o turismo na cidade. Mas de que adianta construir uma tirolesa se o local não tem nem o básico, como por exemplo, um banheiro público…

Por sorte, não são só os escaladores que estão preocupados com essa lambança. O Instituto Jacarenema de Pesquisa Ambiental que estuda os bichos-preguiças que vivem na área já acionou o Ministério Público, assim como a Associação Capixaba de Escalada, no intuito de reverter a situação, uma vez que o mesmo está em não conformidade com legislação ambiental vigente.

Vamos fazer barulho! Senão serão eles que farão no futuro!

Leia aqui a nota oficial da Associação Capixaba de Escalada.

Postagens relacionadas

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.