Notícias da semana

Calogi

Na última sexta-feira, os escaladores Fábio “Chuck Nóia” (@fabio.fabre) e Breno Kuster (@brenokuster) realizaram a 4a repetição da via “Infinita Highway” (6o, VIIIa, E3, D2, 160m) em Calogi, Serra.

Essa via foi conquistada em 2013 por mim, Caio Afeto e Roney DuNada após algumas investidas e desde então teve poucas repetições. Em 2013, Afeto e eu realizamos a 1a repetição onde liberamos a via e mais tarde repeti com o Felipe Alves e depois com o Poul (2017).

Cume! Foto: Breno

Sou bem suspeito para falar sobre a via, mas para mim é uma das tradicionais mais legais do Estado por transcorrer numa parede vertical cheia de agarras e onde cada enfiada tem um estilo distinto de escalada.

Segue o vídeo da escalada:

Uliana

Já em Uliana (Venda Nova do Imigrante) foram equipados mais dois projetos: no sábado Alex Mendes conquistou a extensão da via “7b soft” adicionando mais uma proteção e uma parada. O projeto está sem cadena, mas parece que tem um V10 por ali.

No dia seguinte, Alekinho e eu equipamos uma via à esquerda da Café Camocin (8b) e batizamos de “Parada Paraíba”. Esse projeto também está sem ascensão, mas chutamos um 9a.

Lembrando sempre que todas as proteções fixas foram subsidiadas pelas Associação Capixaba de Escalada em parceria com a Bonier.

Da minha parte comecei a trabalhar a via “Evolução da Espécie” (10a), via proposta pela Alex Mendes que realizou a primeira ascensão em abril deste ano. A linha é uma extensão da Café Robusta (8b) que adiciona um V7, um descanso e um V4 no final.

Ao longo de dois dias dei quatro entradas: Uma no primeiro dia, onde fui até o V7 para estudar o “problema”; no 2o pegue fui até o V4, sem conseguir isolar o lance; no 3o trabalhei toda via até o final; e no 4a pegue, fiz com uma queda no crux do V7.

Sai da via com a sensação de que é possível. Talvez esteja faltando um bom dia de escalada com grandes condições. Por outro lado, também sinto que se eu treinar um pouco mais, terei mais chances de fazer o boulder de forma mais consistente. Outro fator preponderante é a pele, pois a via consome bastante a ponta dos dedos, mas isso é passível de contornar traçando uma boa estratégia de escalada.

Por ora, segue o vídeo do Alekinho fazendo o FA da via e o croqui atualizado do setor:

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.