Cascata do Marin

Cotiporã

Atualizado em: 12/02/2021

Índice

André Gaia na via Eletroerosão (9a).

Como chegar

Chegar na Cascata do Marin não é muito trivial. Principalmente se estiver saindo da capital Porto Alegre, pois há uma série de “quebradas” que requer atenção por parte do motorista. Por isso, a melhor dica é usar um GPS para se orientar.

Saindo de Porto Alegre, tome a BR-116 em direção à Serra passando por Canoas, Esteio e São Leopoldo. Após a polícia rodoviária federal de São Leopoldo (Scharlau), contornar o viaduto por baixo para acessar a RS-240 em direção a São Vedelino e Farroupilha. Siga pela rodovia, sempre muito atento aos radores (móvel e fixo). No pedágio, siga reto em direção a Farroupilha (pela RS-122). Na altura de São Vedelino, depois da polícia rodoviária estadual, tome uma saída à esquerda, via elevada, em direção a Carlos Barbosa (RS-446). Siga pela rodovia, sem radares, passando por Carlos Barbosa, Garibaildi e Bento Gonçalves. Após a entrada principal de Bento, e logo depois de sair do perímetro urbano da cidade, tomar à esquerda num trevo em direção a Guaporé. Não confundir com a saída para Monte Belo do Sul. Siga pela estrada cheia de curvas até descer no fundo do vale. Quando a estrada encontrar o rio no fundo do vale, tome uma saída à direita em direção a Cotiporã. Essa saída está sinalizada. E assim que pegar a estrada irá cruzar o rio. Siga pela estrada de chão até a cidade de Cotiporã

Mapa
Filtrar por
Derek na via "The Dark Side" (8b).

Assim que chegar na cidade, no primeiro trevo, antes da área urbana, tome à direita e depois a primeira à direita novamente na Av. Independência. Siga pela estrada seguindo as placas por mais uns 9km. Quando estiver vendo o vale onde fica a cascata, sair em oblíquo à direita em direção a Cascata. Essa saída também está sinalizada.

Siga até o final da estrada e estacione no “estacionamento” em frente ao vale.

A trilha de acesso aos setores de escalada fica voltando um pouco pela estrada numa saída sinalizada à esquerda. Essa trilha está bem sinalizada e batida. Não tem erro.

Série Histórica de Temperatura Mensal (Caxias do Sul)

Série Histórica de Precipitação Mensal (Cotiporã)

Melhor época

A melhor época para escalar na região é durante a primavera e o outono. No verão faz bastante calor, mas os setores ficam na sombra. O setor principal fica na sombra pela manhã e o Mirante à tarde. No inverno costuma fazer bastante frio, principalmente pela umidade que vem da cascata.

Acesso

A partir de 02/2021 está sendo cobrado R$ 5,00 de ingresso.

Sol/sombra

Setor com sombra à tarde.

Rocha

Riodacito (rocha vulcânica) da Formação Serra Geral.

Proteção

Todas as vias estão protegidas com chapeletas e chumbadores de 3/8 com parada dupla com corrente.

Equipo

Uma corda de 60m, lona, 15 costuras e capacete.

Onde ficar

A partir de 02/2021 está sendo cobrado R$ 30,00 por pessoa para acampar no local.

Estilo

As vias são em geral curtas a médias em placa vertical a negativa com algumas passadas em teto. As agarras são, em geral, em batente com borda afiada.

Links

https://leaogropo.blogspot.com/2015/12/cotipora-croquis-e-infos.html

Vias mais repetidas

  1. Maravilhosos meteoritos (6c)
  2. As Ecléticas (7b)
  3. PauVanVer (7b)
  4. Caminho do meio (V)
  5. Eclipse (8a)
  6. The dark side (8a)
  7. Buraco negro (V)
  8. O ateu (8b)
  9. Eletroerosão (9a)
  10. Buraco Negro (V)

 

Número de vias

0
Vias

Quantidade de vias por dificuldade

Setor Mirante

Setor Principal

Quantidade de vias por setor

Croqui

Na base das principais vias há uma placa de pedra com o nome e o grau das vias.