Assuntos aleatórios

“Última Alegria” (7b)

Fico até sem jeito para falar que saiu mais uma variante em Calogi porque são tantas variantes que ninguém entende mais nada, nem eu. Mas para todos os casos, há mais uma variante chamada “Última Alegria” que começa na via “Trem da Alegria” e depois do crux, sai para direita protegido em um Camalot #.75 e emenda na “Último Trem”, na base da “geladeira”. O crux está, naturalmente, na passadinha da “Trem da Alegria”. Já a travessia é bem tranquila.

Eric na outra variante, “Último Trem” (V).
Aquela segue para quase 50m de via, só assim para aguentar.
Eu acho que nessa foto estou na nova variante e a foto deve ser do Eric.

 

TC200

Esses dias comprei no ML, um teleconversor para minha D600. O teleconversor, como o nome diz, é um conjunto de lentes que você acopla entre o corpo e a objetiva e que tem como objetivo aumentar a distância focal. A TC200 é um modelo da Nikon de 2x, ou seja, dobra a distância focal. Assim, quando acoplado na minha 180mm, o conjunto me oferece uma distância focal de 360mm. Baita canhão!

Resolvi escrever sobre ele porque praticamente não achei informações na internet sobre a compatibilidade TC200 + 180mm, nem mesmo no site da Nikon tem informações necessárias. Em parte porque tanto a 180mm quanto a TC200 são modelos bem antigos, tanto é que a TC200 já nem é mais fabricada e as que tem por ai à venda são todas usadas, inclusive a minha.

Por causa dessa falta de informações, comprei o meu quase às cegas, pois não tinha 100% de certeza se iria funcionar na minha câmera.

O fato é que a TC200 com a 180mm funciona na D600 com algumas limitações:

1- O auto-foco não funciona, logo, o processo de focagem precisa ser à moda antiga, manualmente.

2- Idem para regulagem do diafragma, você precisa fazer isso diretamente na objetiva, o carrossel da câmera não funciona. Por outro lado, a fotometria funciona sem problema.

Além disso, o teleconversor “come” 3 pontos de luz, logo a minha 180mm f/2.8 fica com f/5.6. Considerando a velha regra da velocidade mínima ser o inverso da distância focal para manter o mínimo de estabilidade, você precisa ter pelo menos 1/400 de velocidade, o que é muito com uma abertura de f/5.6.

Lendo assim, parece que o teleconversor é uma furada, mas considerando que gastei menos de R$500,00 para ter um tele de 360mm acho que o custo-benefício é positivo. Hoje, uma objetiva top de 400mm da Nikon não sai por menos de R$ 15.000,00 no Brasil.

D600 + TC200 + 180mm.
Testando a 360mm. Essas montanhas estão na casa do chapéu (pelo menos 30km) e tirei da varanda de casa.
Outro teste, dos aviões que passam em frente a varanda. Dá para ver o prefixo…

“Me, myself and I”

No início desse mês, recebi um livro que eu tinha comprado no início do ano (!) e só chegou agora, depois de 7 meses… Obrigado Receita Federal do Brasil e serviços de Correios… O nome do livro é “Me, myself and I” escrito pelo escalador britânico Patrick Kirkpatrick, uma das maiores referências em escalada big wall solitária. O livro é a Bíblia dessa modalidade com muitas dicas úteis que vão desde técnicas até questões psicológicas envolvidas nesta modalidade de escalada. Se você é, assim como eu, um apreciador desse estilo de escalada é um livro obrigatório para ter em casa. Fica a dica. Na próxima edição do MV há um artigo sobre esse assunto! Vale a leitura também!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Fechar Menu