Carta aberta da ACE sobre agarras coladas

Posição da ACE em relação à adição de agarras em vias:

No inicio deste ano, a comunidade escaladora do ES, se deparou com uma situação surpreendente e anacrônica. A via Necropsia situada no setor da Boca no Morro do Moreno foi adulterada com a colagem de agarras (adição de agarras não originais. N.A.). Entre outras atitudes controversas, um escalador notoriamente não alinhado com as decisões coletivas, colou as agarras em via aberta por outros neste importante ponto de escalada próximo à capital capixaba. Esta ação foi contrária ao código de ética local formalmente manifesto pela ACE e tacitamente aceito entre os escaladores do estado.

O caso foi levado para assembléia onde se comprovou o repúdio coletivo e está sendo resolvido localmente. Apesar de diversas tentativas, o autor não se mostrou disposto a se retratar.

As agarras serão retiradas, infelizmente com prejuízo da integridade da rocha já perturbada no momento da colagem das agarras, mas constituindo desta forma uma resposta para desestimular essa prática por aqui.

O problema deste caso porém não se limita à um ato de vandalismo isolado, ele demonstra uma visão equivocada emergente. Ocorre uma distorção histórica onde os coladores de agarras crêem trazer a evolução e vêem seu ato como inovador quando na realidade ressuscitam um assunto sepultado em comum acordo faz tempo, e diga-se de passagem, sem muita polêmica.

É importante ressaltar que o fato de algumas poucas pessoas defenderem a colagem de agarras não indica que essa prática seja boa ou minimamente aceitável.

Sempre existe a possibilidade de se rever conceitos, porém o caminho pra esta revisão deve ser a conversa e a argumentação. O código de ética atualmente aceito pela grande maioria dos escaladores é resultado de um processo de discussões internas baseado em temperança e princípios norteadores como o mínimo impacto e o respeito mútuo.

Outro produto dessas discussões foi a consolidação da nossa capacidade de nos regulamentarmos. Um atropelo como este ocorrido, zomba do esforço daqueles que se empenharam em chegar num acordo, e atenta contra nossa capacidade de auto-regulamentação abrindo brechas para intervenções externas invariavelmente absurdas.

Não é nosso interesse trazer aqui a questão da validade ou não da prática de colar ou cavar agarras. Queremos é deixar claro que os escaladores locais representados pela ACE repudiam essa prática.

Fim da carta aberta!

Nota do blogger:

Esse é um assunto muito polêmico e bastante discutido há muito tempo. Eu não vou entrar no mérito da coisa, nem dar a minha opinião porque isso não vai mudar em nada.

No entanto, gostaria de ressaltar uma coisa muito importante que é o respeito à ética local. Cada país, cada estado, cada pico de escalada tem uma ética de escalada que é um conjunto de regras escritas, ou não, que rege o jogo da escalada. Cabe a cada um de nós se informar sobre a ética local antes de qualquer coisa, principalmente quando for abrir uma via ou fazer qualquer tipo de alteração.

Lembrando sempre que não necessariamente o que é permitido no quintal de sua casa é permitido no quintal do lado. Por exemplo, aqui no ES a ética local aceita o uso de furadeira para a conquista, mas se você for para Yosemite, não poderá usar furadeira para qualquer tipo de trabalho.

Também é muito importante que os escaladores de longa data informem os novos escaladores sobre as regras que regem o jogo da escalada. Tem muita gente nova entrando nesse mundo com muita vontade e pouco conhecimento. Disseminar o conhecimento é o papel dos mais experientes e saber assimilar as informações dos velhos é a obrigação dos novos.

 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Assinar blog por e-mail

Junte-se a 36 outros assinantes

Fechar Menu