“Eu sou a lenda” (melhorias)

^ Pedra do Limoeiro onde fica a via “Eu sou a lenda”.

No último final de semana fiz uma repetição em solitária da via “Eu Sou a Lenda”, no Distrito de Praça Oito em Itarana para atender uma antiga reivindicação: melhorar a P5 e colocar uma ancoragem na rampa de acesso à base da via.

P0 em móvel com dissipador para começar a escalada.
Selfie à moda antiga na P3. Nessa hora estava pensando por que fui inventar de levar somente 2L de água… Sede… Muita sede…
Parceiro silencioso!

Quando a via foi conquistada em 2013, a última parada, a P5, ficou em uma árvore. Tempos depois, quando uma turma fez a primeira repetição da via, relatou que a árvore da P5 não era segura devido ao fato de praticamente não ter nenhuma raiz firme. Voltei à via depois e constatei o fato e fiquei de voltar lá para bater uma parada dupla para “fugir” da árvore, mas sempre rolava aquela preguiça de levar a furadeira lá para cima. Então dessa vez resolvi fazer os furos à moda antiga, pois assim pouparia uns 3kg… O lado ruim é que levei quase 1h para fazer os dois furos, enquanto que na furadeira não iria demorar mais do que 60 segundos…

Fazendo a manutenção da P5.

Outro ponto de restauração foi a necessidade de melhorar um trecho da aproximação. Durante a conquista da via usamos outro acesso pelo flanco oeste da pedra. Tempos depois, após uma forte chuva que atingiu a região, um grande desmoronamento de terra criou um costão que leva direto à base da via. Com isso, a aproximação ficou “mais tranquila”.  Subir o costão não é tão problemático, desde que não se importe em fazer um solo de uns 100m em IIIo grau. O problema de fato está na descida, o primeiro trecho da descida é vencido com um rapel 70m, no entanto o crux está nos últimos 35m, onde a pedra fica mais vertical e a desescalada mais complicada. Com o tempo, o costão virou um caminho natural d’água e por vezes ele fica, em parte, molhado. Além disso, a pedra começou a ficar mais lisa ainda, comprometendo a aderência.

Enfim, o fato é que no último trecho, faltando 35m para acabar o costão, foi batido uma chapa de inox para fazer um rapel no lance mais complicado da descida!

Agora a via está um brinco para repetir, mas não agora! Porque o mato cresceu com a última chuva e está complicado fazer a aproximação, além disso, os carrapatos estão novamente à solta!!!!

Rampão de acesso.

Segue o croqui atualizado. Para ler mais sobre a via, clique aqui!

Comentários

3 respostas em ““Eu sou a lenda” (melhorias)”

Deve ter dado um friozin na barriga fazer a saidinha pra chegar na 1a chapa em

Nada, ali o chão é fofinho, kkkkkk

[…] Duas semanas atrás, quando fui fazer uma manutenção na via “Eu sou a lenda”, durante o rapel, vislumbrei uma excelente linha paralela à via com vários lances em fenda. Desci de lá com muita gana de voltar lá para conquista essa linha, mas na trilha de volta peguei uns (vários) carrapatos que me fizeram repensar no assunto por alguns dias (tenho alergia à picada de carrapato). […]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: