Caminhada romântica

_DSC3093-2

Esperando o início do espetáculo!

Há três tipos de pessoas no mundo: a grande maioria das pessoas que nunca subiram o Pico da Bandeira; algumas pessoas que já subiram o Pico da Bandeira (2860m) uma vez e juraram que nunca mais iriam voltar; e um pequena porcentagem de pessoas que subiram uma vez e voltam para lá sempre que podem.

Eu me incluo no último grupo, já que neste final de semana voltei à montanha pra fazer novamente a caminhada. A primeira vez foi em agosto de 2014 com o Monstro e o DuNada. A postagem sobre essa caminhada está aqui!

Dessa vez voltei ao Caparaó com a Paula para uma “caminhada romântica à luz da lua cheia”.

_DSC3046

Lua quase cheia de maio.

Saímos de Vitória na sexta pela manhã e rodamos 300km até o Parque Nacional de Caparaó. No caminho, ainda demos uma pequena desviada para conhecer e almoçar na Toca da Truta, uma piscicultura de truta que fica aos pés do Caparaó. Eu sou suspeito para falar, mas sou fã de truta, tanto para comer, pescar ou só ficar olhando. Passeio recomendado!

De sexta para sábado ficamos acampados no Acampamento Macieira (inferior), pois como era feriadão imaginávamos que o Acampamento Casa Queimada (superior) estivesse muito lotado. De fato, o parque estava muito cheio com várias pessoas querendo subir o Pico da Bandeira de sexta para sábado.

Para presentear, São Pedro resolveu abrir a torneira na sexta à noite, bem na hora que começamos a montar a barraca! Imaginem o caos! Agora, imaginem o caos molhado. Pior foi para a galera que resolveu subir naquela noite, além da trilha lotada de gente ela estava toda molhada! E quem conhece a trilha sabe que seca já é complicado, molhada então…

_DSC3024

Depois da chuva…

No dia seguinte, passamos o dia descansando, pois sabíamos que iríamos enfrentar uma maratona de 24h. Subimos para o Acampamento Casa Queimada (2160m) e lá ficamos até a uma da madrugada tentando descansar.

Aqui quero fazer um parênteses:

Acredito que muita gente vá ler esse texto porque pesquisou no Google sobre a subida do Pico da Bandeira e tem pretensão de subir.

Galera, a montanha não é uma extensão da sua academia, nem é o salão de festa do seu prédio. Por isso, não vão para a montanha para ficar botando música eletrônica no talo, nem para ficar enchendo a cara e sair gritando pelo acampamento. Falando em sair gritando, qual a necessidade de ter que fazer a caminhada gritando? Não precisa gritar uhuuuu no meio da trilha! Ninguém quer saber se você conseguiu subir um trecho difícil ou se chegou em algum lugar. Por favor, mais respeito com a natureza. Ah, e lá no parque, o serviço de coleta de lixo não funciona, por isso não jogue o lixo no chão achando que amanhã o gari vai limpar! Isso não é uma balada onde nego joga o copinho no chão porque sabe que no dia seguinte alguém vai limpar.

Fico muito triste em ver que um lugar tão bonito como aquele está sendo frequentado por gente tão mal-educada e mal preparada. Sem contar que isso é muita queimação de filme para o montanhismo capixaba. Imaginem o gringo no acampamento e aparece um cara de sunga no frio, com música no talo, pagando flexão! Só faltou aquele espelho de academia para ficar se vendo!

Na madrugada seguinte, saímos a uma hora da madrugada para uma longa jornada até o cume. Dessa vez cobrimos a caminhada de 4,5km em 4h de caminhada com várias paradas para contemplar a vista das montanhas à luz da lua. Contemplar as montanhas à luz da lua cheia é com certeza uma experiência única. Da última vez que subi o pico, pegamos um tempo meio encardido e a caminhamos muito às escuras.
_DSC3084

Pico da Bandeira (2680m) visto sob a luz da Lua a partir do cume do Pico do Calçado.

_DSC3063

Uma pausa durante a subida para contemplar a paisagem.

Chegamos no cume do Pico da Bandeira por volta das 5h da madrugada e ficamos ali, entocados esperando o sol nascer. Mesmo com a chuva da noite anterior e o céu estrelado, pegamos não mais que 8 graus de temperatura, então não foi tão congelante assim.

_DSC3167

Primeiro raio de sol para aquecer os viventes!

Depois do espetáculo do sol, veio a descida, o retorno. Mais 4,5km de descida que vencemos em 2h 30 de caminhada. Chegamos no acampamento Casa Queimada por volta das 9h30, desmontamos tudo e pé na estrada!!!

Infelizmente, por causa do feriadão, pegamos um trânsito marrento em Marechal e perdemos 1h30 no engarrafamento, mas chegamos sãos e salvos em Vitória por volta das 19:30h.

Special thanks para a Paula por me acompanhar nesse programa romântico-social-indiada. Ah, depois de ter completado a caminhada, ela entrou no segundo grupo de pessoas!

_DSC3113

Postagens relacionadas

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.