Coffee Lovers

Coffee Lovers

A man doesn’t go to drink coffee after climbing, coffee is integral part of the climbing.

Wolfgang Güllich

Escalada e café sempre tiveram uma relação muito estreita, que diga o mestre Güllich. Quem não gosta de preparar um bom café na base de uma via entre uma escalada e outra? Ou aquele café matutino, antes de encarar horas à fio numa via tradicional?

Eu me considero um viciado chato por café. Um daqueles caras que não se contenta com qualquer café e gosta de apreciar o “ritual do café”.

Há inúmeras formas de preparar um bom café, cada qual utilizando um “instrumento” específico, mas a sua essência sempre é a mesma: extrair o sabor do café usando água quente! E não fervente! Sempre!

Neste post, vou tentar me ater apenas a parte que trata dos métodos de extração. Sobre tipos de café vou deixar para uma outra postagem, ou quem sabe, para quem entende mais.

Quando se pensa em café na montanha é preciso considerar vários fatores, mas o principal, além do sabor é o peso do conjunto, afinal de conta, tudo que vai à montanha, vai nas costas. Por isso, quando penso em kit de café, sempre penso em peso!

É claro que quanto o peso é crucial, o mais “xiita” de todas as alternativas é o café solúvel, mas acho que não precisa ser tão radical assim. Por isso, abaixo, separei uma série de método de extração que tenho levado nas minhas andanças e compartilho agora com vocês a experiência!

Da esquerda para direita de cima para baixo:  Moka Italiana, Aeropress, moedor manual, Handpress,  prensa francesa e o fogareiro.

Fogareiro

Um café é preparado com apenas 2 ingredientes: café e água quente. Açúcar não, por favor! E quando se está na montanha, para aquecer a água, é preciso um bom fogareiro.

Preparando um café local. Yosemite N. P.

Atualmente uso um fogareiro da Primus modelo ETA Lite que funciona a gás. A grande vantagem desse fogareiro está no peso e volume. É um fogareiro muito compacto que vem com uma panela de 500ml e uma tampa que vira xícara! Prefiro os fogareiros da Primus em relação aos famosos Jetboils pelo simples fato de ter menos plástico na construção.

Moedor

Se você for falar com um barista, eles vão falar que metade do seu orçamento em equipamento para café deverá ser investido em um bom moedor de café.

Esqueça o café moído! Sempre compre café em grão e de preferência torrado a pouco tempo. Para montanha, a melhor opção é um moedor manual. Recomendo o moedor da marca japonesa Hario modelo MSS-1B que você encontra com certa facilidade nas lojas especializadas. Segundo os entendidos no assunto, esse moedor usa lâminas de porcelana que preservam melhor o sabor do café.

Outra vantagem do moedor em relação ao café moído, está na possibilidade de regular a moagem do café, pois para cada método de extração há uma moagem ideal.

Preparando um café na moka em Corupá, SC.

A seguir separei 4 métodos de extração que tenho levado para montanha, cada qual com suas particularidades:

Moka italiana

A Moka é um pequeno bule que extrai o café por diferencial de pressão. O modelo mais conhecido é o Bialetti de alumínio que foi patenteado em 1933 pelo próprio Bialetti. Eu uso uma Moka bem pequena que rende apenas uma xícara por vez, mas há Mokas de todos os tamanhos.

Preparo: a preparação é bastante simples. Basta colocar água no compartimento inferior para aquecer (sem a parte superior) e quando estiver quase quente, colocar o funil com o café moído e rosquear a parte superior. Assim que a água ferver, por diferencial de pressão, a água irá passar pelo café, via funil, até o compartimento superior.

A desvantagem da Moka é que você precisa levar, além da Moka, uma xícara para beber o café. Lembre-se de que na montanha, qualquer peso extra conta! Por isso, reservo a Moko mais para car-camping.

Preparando um café na base da via. Red River Gorge, KY, EUA.

French Press

Para mim, esse é o método mais prático para conseguir um bom café na montanha. O princípio é bem simples. Você coloca o café moído na água quente, espera exatos 4 minutos e logo em seguida, usando uma prensa vazada, empurra todo o café para o fundo, separando a água da borra de café.

Muitos fabricantes de fogareiro, Jetboil, Primus, MSR, vendem separadamente a prensa que vai direto na panela do fogareiro, o que deixa super prático e compacto. Por isso mesmo é o meu preferido para levar à montanha. Além disso, não precisa levar nem uma xícara para beber o café!

A desvantagem da prensa é a sujeira. Em alguns ambientes, a água é um produto raro e racionado. E não tem como ficar usando toda a água para limpar a sujeira. Nesse quesito, pelo menos a minha prensa, deixa um pouco a desejar, pois a extração gera um pouco de sujeira.

Aeropress

O Aeropress é uma máquina ainda pouco conhecida no Brasil. Funciona usando um princípio semelhante ao café filtrando, porém com a diferença de a extração ser a base de pressão e não apenas a filtragem por gravidade.

O funcionamento é bem simples. Basta colocar água quente no compartimento, acrescentar 17g de café, esperar 30 segundos e depois extrair o café pressionando o embolo contra o papel filtro e pronto!

DICA: sempre molhe o filtro de papel antes de usa-lo.

 Para mim, esse método é o que extrai o melhor café. Inclusive é o método preferido dos apreciadores de café, pois é possível saborear todos os nuances do café.

A desvantagem é que você precisa levar o Aeropress, embora não seja trambolho, nem pesado, é mais uma coisa para carregar. Além disso é preciso sempre levar o papel-filtro que é descartado a cada uso. Ah, sim! E a xícara também, pois não tem como beber direto do Aeropress.

Preparando um café. Com o fogareiro, você pode preparar um bom café em qualquer lugar a qualquer hora.

Handpress

Agora, se você não abre mão de um café expresso na montanha, a solução é o Handpress! O Handpress é uma máquina de café expresso totalmente manual que oferece 16bar de pressão graças a um compressor manual.

Para preparar o café, basta bombear o aparelho na mão até atingir a pressão de 16bar, colocar a água quente no bojo, o café que pode ser em pó, 7g, (usando um adaptador) ou em sache (tipo E.S.E – Easy Serving Espresso) e apertar um botão para liberar a pressão e a água passar pelo café até uma xícara.

DICA: Pré-aqueça o bojo e a xícara com água quente para garantir que o café não esfrie após a extração.

 O equipamento é fantástico, faz um expresso de primeira qualidade, mas o grande problema é que é muito difícil fazer um bom expresso. Há inúmeros detalhes que precisam ser considerados na hora do preparo.

Uma das desvantagens do Handpress é que ele é dose única. Não tem como “alimentar” várias pessoas ao mesmo tempo. E cada dose demora, pelo menos, uns 3 minutos para ficar pronta.

Com certeza é uma máquina para quem realmente aprecia o processo de preparo do café e não tem pressa.

Então, vamos tomar um café?

Preparando um café em Tuolumne Meadows, CA – EUA.

Compartilhe isso:

Postagens relacionadas

Comentários

Uma resposta

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: