Literatura de montanha

^ Montanhas de Castelo, ES.

Sairam no início do mês, durante a Abertura da Temporada de Montanhismo do Rio de Janeiro, dois livros incríveis sobre escalada brasileira que vale muito a pena dar uma lida.

O primeiro livro é o “50 vias clássicas do Brasil” de Flávio e Cíntia Daflon pela editora Companhia da Escalada que traz uma seleção das melhores vias clássicas (e esportivas) do Brasil. Os autores escolheram a dedo as gemas da escalada brasileira, repetiram cada uma das vias e lançaram um livro com todos os betas. Vale lembrar que a lista contempla apenas vias “tranquilas” que podem ser escaladas por todos.

Do Espírito Santo, entraram três vias: A Normal da Pedra Azul, a via Inferno na Torre nos Três Pontões de Afonso Cláudio e a via Face Oculta em Pancas! De fato são vias acessíveis e muito bonitas que valem demais uma visita!

Do Rio Grande do Sul, mais três clássicas: Papagaio Pirata em Bagé, a Sem Medo de Ser Feliz na Pedra do Segredo em Caçapava do Sul e a Bugio Solando no Pico da Canastra. Só classiqueira também!

A vontade que se tem ao terminar o livro é pegar a estrada e fazer todas as vias numa grande viagem! Aliás, um projeto incrível!

Se você curte escalada tradicional e tem intenção de conhecer essas e outras vias do Brasil, esse é um livro obrigatório para ter na estante.

Aproveite a promoção de lançamento com frete grátis para todo o Brasil e adquira aqui!

O segundo livro é do escalador carioca Antônio Paula Faria que fala sobre a história da escalada brasileira. Esse é mais um livro obrigatório para quem deseja conhecer um pouco mais a história do nosso esporte.

Acabei de terminar ele. É uma leitura fluida e prazeirosa, então vai fácil.

É claro que pelo fato dele ter crescido no Rio, há uma certa centralização, mas ao longo da leitura fica claro que muito da história do montanhismo brasileiro aconteceu lá, por isso é natural que tenha muitas referências. Além disso, os clubes cariocas tiveram, e ainda têm, uma grande preocupação em deixar todas as atividades registradas, o que facilita o resgate. Olhando assim, fico um pouco triste em ver como o montanhismo gaúcho não possui registros importantes para consulta. Deu uma certa inveja dos cariocas quem tem pilhas e mais pilhas de boletins… Falo isso porque a um tempo tentei levantar alguns dados para montar a linha do tempo da escalada gaúcha e percebi que muita coisa se perdeu com o tempo. É uma pena.

Para ilustrar o livro, há diversas fotos históricas e ilustrativas. Inclusive tive a honra de ter algumas fotos de minha autoria publicadas no livro. Sem contar que nas bibliografias, o site está sendo referenciado. Mais uma motivação para manter ele minimamente organizado.

Este livro também está com frete grátis para todo Brasil no site da Companhia da Escalada. Vai lá, aproveite e compre os dois de uma vez!

Boa leitura!

Postagens relacionadas

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.