Pais e Filhos, ataque final!

_DSC2092

Dunada guiando a 2a enfiada da via.

Ontem, pelo terceiro domingo consecutivo (1a investida e 2a investida) fomos, eu DuNada e Zudivan, para a Pedra da Onça tentar bater no cume da pedra. Dessa vez contamos com a ajuda essencial do Zudivan que nos ajudou a dividir o pesado trabalho de conquista.

_DSC2080

 Face leste da Pedra da Onça. A via passa mais ou menos pelo meio da pedra.

_DSC2079

Separando os equipos antes da caminhada. Ao fundo, Dunada tentando chamar o Hugo.

E após 8h de escalada e muita ralação, finalmente batemos no tão desejado cume da Pedra da Onça aos 45 min do segundo tempo.

_DSC2111

Cumeeee!!!!

Agradecimento especial ao Chuck Nóia que me acompanhou na 1a investida (agora tem que voltar para fazer toda a via!); ao DuNada que participou da 2a e 3a investida; e o Zudi que entrou no segundo tempo para dar uma ajuda extra!

Segue o croqui da via os betas para repetição. Para baixar a versão em PDF, clique aqui!

Arquivo pesado (1,4MB), paciência…

Pais_filhos_final2

Equipos necessários para repetição

– 1 corda 60m;

– 1 corda 70m;

– 13 costuras;

– 1 cliff de buraco;

– estribo;

– fitas para as paradas naturais;

– friend opcional para a 2a enfiada (Camalot #1 e #0.5);

– fita de abandono para os rapéis (5).

Descrição das enfiadas:

1a enfiada

Enfiada curta de aproximação de uns 32m. Não tem proteção. Pode ser feita em solo e de bota, mas o ideal é entrar encordado. Parada natural em árvore. Graduação: IIIo

2a enfiada

Outra enfiada fácil de 63m. A linha percorre por dentro de uma canaleta que começa por um sistema de fendas onde é possível proteger em móvel (opcional). Tem uma única proteção fixa na parte alta da enfiada, antes de chegar na parada natural. Graduação: IIIo com um lance de IVo antes da parada.

3a enfiada

Enfiada constante de 55m que começa com numa rampa que aos poucos vai ganhando inclinação. Em termos de dificuldade é a enfiada mais constante (6o) da via. Requer 8 costuras mais a parada (parada em platô).

4a enfiada

É a enfiada mais longa com 65m. Vai de um platô ao outro. Lances constantes intercalados com lances tranquilos. É preciso gerenciar muito bem as costuras longas para minimizar o arrasto. O crux da enfiada é um lance obrigatório do 6o SUP no meio da enfiada.

5a enfiada

Enfiada de aproximadamente 50m de um platô ao outro. No meio da enfiada há um lance graduado em 7a, mas não é obrigatório, pois pode ser vencido se segurando na costura. Grau geral da enfiada 6o.

6a enfiada

Mais uma enfiada de 50m em um terreno já menos inclinado. A escalada transcorre entre os platôs de mato até culminar no único lance em artificial da via. Esse lance requer um cliff de buraco + estribo. Em livre poderá chegar na casa do 7c/8a de parede.

7a enfiada

Última enfiada antes do cume. Escalada fácil (IIIo com passadas de IVo) até o cume. Duas proteções fixas.

Rapel

Existe a possibilidade de descer caminhando do cume, mas requer uma caminhada de aproximadamente 5km até o estacionamento.

Para descer pela via, usar uma corda de 60+70m. Atenção redobrada ao descer pela 4a enfiada. A corda chega no limite. No último rapel (1a enfiada) é possível de descer com uma corda de 70m.

Aproximação:

A Pedra da Onça está localizada no distrito de Praça Oito em Itarana. De Vitória até Praça Oito são aproximadamente 110km (2h). De Praça Oito, logo após o bar que fica depois da igreja, pegar a saída à direita no meio da curva fechada e seguir sempre pela principal. A primeira bifurcação pegar à direita em direção ao vale que separa a Pedra Alegre (a pedra mais expressiva da região) da Pedra da Onça. A estrada vai subir pelo vale até o colo e descer no outro lado. A entrada para a via fica na 4a entrada à direita após a passagem do colo, já na parte mais baixa. Siga por esta estrada e na primeira bifurcação tomar à esquerda (à direita vai para a propriedade da Dona Rita). Siga pela estrada que irá se juntar com uma outra (pela esquerda) e após o mata-burro, entrar à direita, antes da casa à esquerda. Dependendo do carro, dá para seguir bem pelo cafezal, senão estacione e siga caminhando. De Praça Oito até este ponto são aproximadamente 10km. Siga sempre pela estradinha por dentro do cafezal, na primeira bifurcação, tome à esquerda e continue até o ponto onde a estrada faz um cotovelo e chega mais perto da pedra. Nesse ponto saia da estrada e siga descendo pela ravina. Atravesse a cerca de arame, cruze a drenagem seca e entre no pasto alto (Campo de carrapato). Cruze o pasto, entre na mata e siga em direção à pedra.

Para baixar o tracklog, clique aqui!

A base da via fica entre o mato e o pasto. Para facilitar a localização há um pequeno totem na base da via. A primeira proteção da via não é visível da base (somente da P1).

Duração

Uma dupla bem alinhada consegue escalar a via em aproximadamente 5-6h. Não há muito risco de se perder na via. De rapel são mais 1h30-2h.

Sol e sombra

A parede fica voltada para leste, por isso pega sol pela manhã e sombra à tarde. Às vezes, faz bastante frio (pelos padrões locais) por causa do vento (norte). O ideal é ter um corta vento para dar segue.

Recomendações

A via é toda em cristais. Até a 5a enfiada, os cristais são mais sólidos. A partir dessa enfiada, os cristais são mais quebradiços. Nas partes onde a rocha é mais escura, os cristais quebram com mais facilidade e na parte clara, mais sólidos.

Gravar bem a trilha de aproximação, pois é fácil de se perder na volta, principalmente a noite.

_DSC2103

Visual do cume.

Atualizado em 18/10/2013: Para saber o lado B da conquista, visite o blog do DuNada e leia o que ele escreveu! Baita mentiroso!

Comentários

2 respostas em “Pais e Filhos, ataque final!”

[…] e Filhos” na Pedra da Onça, conquistada em 2013 por mim e Chuck Nóia na 1a investida e concluída com o DuNada e Zudivan naquele mesmo ano. Em 2015, fizemos a 1a repetição da via com o Afeto e o Danilo […]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: