• Lissandro na 3a enfiada da via Xixi Molhado.

A montanha sempre será a mesma, o que a faz diferente são os Homens que escalam.

Esse pensamento invadiu a minha mente enquanto dava segurança na última parada da via “Xixi Molhado” na Parede dos Sonhos em Itarana com a Jana e o Lissandro.

Um dia, a Jana me pediu para que a levasse na Parede dos Sonhos com aquela motivação e entusiasmo de sempre. Ela começou a escalar a pouco menos de 3 anos, mas desde o início se mostrou muito fanática em todas as modalidades. Para ela, o importante é “comer pedra”, seja um bloco de 5m ou uma parede de 500m.

Já o Lissandro parece que foi picado pelo “mosquitinho da tradicional”. Depois da conquista da via “Sorte de Principiante” ele foi com a Gleide para Pancas e “passou o rodo” com o Brunoro na última semana.

Com gente motivada assim, ficou fácil fechar a escalada, juntou a fome com a vontade de comer e lá estávamos nós no último domingo na Parede dos Sonhos.

A Parede dos Sonhos foi descoberta em meados de 2014 e desde então vem recebendo inúmeras conquistas. Ainda lembro da primeira vez que olhei para aquela parede peculiar e mentalmente fiquei imaginando linhas e mais linhas de vias. E hoje, sempre que olho para aquele parede, fico emocionado ao ver que todas as linhas imaginárias se tornaram vias.

Escalada

Como a cordada era bem heterogênea escolhi a via “Xixi Molhado” por abranger bem as particularidades de cada um. Assim, passei as enfiadas em móvel para Jana que está começando a guiar “colocando os amigos”; as enfiadas em proteção fixa para o Lissandro que está iniciando nas “tradis”; e eu ficaria com a “sobra”.

Croqui da via.

Às 9h iniciei a escalada tocando a 1a enfiada em móvel. Depois a Jana tocou a 2a em móvel por uma oposição bem didática. A 3a enfiada em ficou com o Lissandro que, além de pegar a enfiada crux, ficou com a enfiada mais venenosa da via. Em 30m ele aprendeu a escalar com corda dupla; que tufo de mato pode ser agarra; que pular chapeleta não é mentalmente saudável; e que navegação em via pode ser difícil, principalmente quando não souber onde fica a parada dupla.

Jana e Lissandro no inicio da via.
Fazendo a transição.
Jana no início da 2a enfiada.
Lisandro limpando a 2a enfiada.
Momento pimenta!

Dali fizemos uma pequena transição para o grande platô e eu toquei a mega fenda de 60m da 5a enfiada até a base do arco. A essa altura do dia, o tempo estava virando rapidamente. Definitivamente o inverno deste ano será chuvoso, assim como em 2014. O grande problema da Parede dos Sonhos é que a chuva sempre vem por trás da montanha. Assim não vemos o tempo virar. Quando damos por conta, a chuva já está sob nós. Mesmo com uma leve garoa, consegui escalar tranquilamente, graças ao enorme teto que fica sob a via.

No início da fenda e o grande teto. 5a enfiada. Foto: Lissandro.
O tempo virando. Foto: Lissandro.

A 6a enfiada, em móvel, ficou com a Jana novamente que dessa vez suou um pouco com a vegetação e o atrito. Coisas que a gente vai aprendendo a gerenciar com o tempo.

Jana na enfiada do arco.

Como a 7a enfiada é em chapa, ficou novamente com o Lissandro que depois do veneno que passou lá embaixo, tirou essa de letra.

Lissandro no crux da 7a enfiada.

Para não falarem que eu não fiz nada, fiquei com a última enfiada, um runout estranho onde os crux´s são as passagens da rocha para terra solta. Já estou considerando saudável bater pelo menos uma proteção fixa num lance…

Chegamos no cume por volta das 15h com o tempo bem carregado. O céu estava tão carregado que parecia final do dia, mas o céu dramático foi o toque final para mais uma escalada clássica nessa pedra que a considero uma das melhores do Estado.

Foto no cume!

Já os “aprendizes” estão de parabéns. Acho que a grande essência da escalada tradicional é o bom humor e o pensamento positivo, o resto a gente aprende com um pouco de prática e experiência. Da minha parte, achei que fosse apenas uma repetição normal, mas ao longo da escalada fui descobrindo que não existe repetição, mas sim novas experiências.

Postagens relacionadas

Comentários

Uma resposta

  1. Sem dúvida essa parede é uma das mais incríveis que escalei. Espero voltar em breve e conhecer as outras vias. Valeu Japonês!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.