João Neiva

Vale Polese

Alt. 120m

Atualizado em: 13/07/2022

Esportivo

O Vale Polese é um grande vale encravo numa famosa feição geológica conhecida como “Lineamento Vitória-Colatina”. Este lugar de beleza cênica, conta atualmente com dois setores de escalada esportiva (Bloco dos Polese’s e Setor Parque de Diversão) e quatro vias tradicionais (Pedra Polese e no Setor Parque de Diversão).

Como chegar

Saindo de Vitória, tome a saída norte pela BR-101 até João Neiva e em seguida a BR-259 em direção a Colatina. Entre em Acioli e siga em direção à Barra do Triunfo e em seguida à Bela Vista. É recomendável usar o GPS para fazer o trecho final, pois a estrada segue por várias bifurcações sem sinalização. O Bloco dos Poleses pode ser avistado da estrada assim que passar por uma ponte. São aproximadamente 110km (2h) sendo somente o trecho de Barra do Triunfo até o bloco em estrada de terra.

O setor Parque de Diversão fica passando o setor do Bloco dos Poleses (200m) na parede da esquerda, antes de atravessar a segunda ponte. 

A Parede Polese é a continuação do setor Parque de Diversão e conta com três vias tradicionais ao longo de toda sua extensão.

Para acessar a Pedra Polese, passe pelos setores esportivos e siga até uma porteira que fica antes da cada dos Polese’s. Estacione o carro e siga pelo cafezal até o ponto mais alto. Depois, siga caminhando pelo costão de pedra que leva à base da pedra (40 min.).

Alternativamente, pode se chegar em Barra do Triunfo por dentro de João Neiva. Embora seja mais curto e a estrada asfaltada, a rodovia tem muitas curvas e vários pontos de queda de barreira. Não recomendado.

Mapa
Filtrar por

Melhor época

Inverno

Sol/sombra

Sombra pela manhã

Rocha

Gnaisse

Proteção

Fixa (inox)

Equipo

10 costuras e uma corda de 50m.

Insetos

Mosquitos (beira de rio).

3/5

Obra do Acaso

4o, IV SUP, D2, E3, 215m

Data da conquista

27/09/2021

Conquistarores

Fred e Naoki

Equipos

Duas cordas de 60m, 4 costuras, fitas longas e um jogo de Camalot (.#3-#3)

Croqui

1a enfiada – A escalada começa buscando uma laca bem óbvia que fica à direita da grande laca. Depois segue em travessia à esquerda buscando o diedro. O crux da via está em ganhar a laca e progredi-la até a parada que fica em seu dorso.

2a enfiada – Escalada segue pela face protegendo em chapa. Trecho com bastante agarras. Assim que ganhar um platô descaído a enfiada segue em travessia para chegar num platô onde está a P2.

3a enfiada – Começa ganhando um lance e segue até a base do diedro onde é possível proteger em móvel. Alguns arbustos acima melhoram a proteção e depois segue em direção a laca de cima. Chegar na laca é crux se chegar pela esquerda. Ideal é chegar por baixo. Depois da laca a via segue reto para cima até a P3.

4a enfiada – A enfiada sai pela direita, buscando o trecho menos inclinado e depois segue reto para cima até o coqueiro. No meio, uns 20m acima, tem uma laca para proteção móvel.

Descida: com 2 cordas de 60m de parada em parada até o chão.

3/5

Deus, eu pequei

4o, V, D2, E3, 195m

Data da conquista

23/10/2021

Conquistarores

Iury, Reinan e Naoki

Equipos

Duas cordas de 60m, 5 costuras, fitas longas e Camalot (#.4 e #1).

Croqui

1a enfiada – A primeira enfiada é a única enfiada que exige material móvel, conforme mostrando no croqui. Escalada em agarra constante.

2a enfiada – Escalada em agarra tendendo à esquerda. Em alguns trechos requer boa leitura para evitar trechos com menos agarras.

3a enfiada – Escalada de corda cheia com dois headwalls. Alguns lances são mais longos com potencial de queda em platô, mas a escalada é bem tranquila.

4a enfiada – Enfiada em parede menos inclinada com apenas uma proteção fixa. Na saída há uma proteção natural para diminuir a exposição. Parada natural nos coqueiros. Avaliar a integridade das raízes!

Descida: com 2 cordas de 60m de parada em parada até o chão.

4/5

A Belinha e a Fera

4o, V SUP, D2, E3, 135m

Data da conquista

20/03/2022

Conquistarores

Iury e Naoki

Equipos

Duas cordas de 60m, 6 costuras, fitas longas e Camalot 2x #.4 a #1. Opcional mais 1x #0.5 e #0.75.

Croqui

1a enfiada – Belíssima escalada em oposição totalmente protegida em móvel. 25m. V.

2a enfiada – Escalada pela face da pedra com uma leve tendência à esquerda. Lances longos, porém tranquilos. 55m, IV SUP.

3a enfiada – Enfiada crux. Os lances mais duros e longos estão entre a 3a proteção e a parada. A 4a chapeleta está mal batida, mas logo acima há uma chapa bem colocada.

Descida: com 2 cordas de 60m de parada em parada até o chão. Rapel de 25m da P1 até o chão.

2/5

Ninho das Águias

3o, IV, D1, E3, 140m

Data da conquista

30/07/2020

Conquistarores

Iury e Naoki

Equipos

Duas cordas de 60m, 2 costuras e um jogo de Camalot (.#5-#4)

Pedra Polese.
Pedra Polese.

Do Bloco dos Polese’s, no fundo do vale, uma montanha singular captura a visão até dos mais desavisados. Nessa montanha batizada de Pedra Polese, encontra-se a via “Ninho das Águias” que transcorre pela face mais óbvia da pedra.

1a enfiada – escalada em agarrência com muitos buracos e proteção móvel em laca, exceto no lance do crux (chapeleta da inox). Parada com argola. 

2a enfiada – Segue reto até a chapa de inox e depois segue para direita virando a aresta da pedra. Não subir reto! Suba protegendo nas lacas e depois volte à esquerda para buscar a parada dupla.

3a enfiada – a linha segue a laca em oposição mais evidente pelo lado esquerdo até o cume. Parada natural.

Descida – De parada em parada até a base.

logo_ace

Parte do material utilizado nesta conquista foi subsidiado pela Associação Capixaba de Escalada que disponibiliza aos sócios proteções fixas para conquista.

bonier-logo