Pancas

Pedra do Tubarão

Alt. 300m

Foto: Pedra do Tubarão.

Tradicional

Atualizado em: 20/08/2019

Distância

170km

Caminhada

30min.

Face

Leste

Livro de cume

Sim

Como chegar

Saindo de Vitória, tome a saída norte pela BR-101 até João Neiva e depois a BR-259 até Colatina. Após passar a ponte sobre o Rio Doce, tome a ES-080 em direção ao norte até o trevo de Pancas (ES-341). Siga pela rodovia que leva à Pancas e após o posto de combustível, fique atento a entrada para o Camping Cantinho do Céu. Estacione o carro uns 800m depois da entrada, ainda na rodovia. A pedra estará à esquerda, ao lado da Pedra da Cara.

Estacione o carro no acostamento e siga caminhando pelo lajeado até ficar de frente para pedra. No trecho final, a mata poderá estar suja, necessitando abrir uma picada com facão.

Mapa

Filter by

Atualmente, a Pedra do Tubarão possui duas vias tradicionais: A via “Dupla Face” conquistada em 2015 pelos escaladores Oswaldo Baldin e André “Tesourinho”; e a via “Boca Seca”, uma via em móvel conquistada em 2019.

Via “Boca Seca”

Via “Dupla Face”.

Data da Conquista: 13/07/2019

Conquistadores: Naoki Arima e Fred “Ibiraçu”.

Equipos: 2 cordas de 60m; 1 jogo de Camalot #.5-#6. 1x Camalot #.5-#2. 1x Camalot #6 opcional. Facão.​

1a enfiada – A escalada começa na face protegida com uma chapeleta até ganhar uma laca em diagonal à direita. Siga pela fenda de baixo, livre da vegetação, até ganhar um platô para estabelecer uma parada natural em árvore. 50m, IV.

2a enfiada – A escalada segue pelo diedro protegendo com peças grandes. A medida que vai subindo, a fenda vai se estreitando e mais acima há uma série de lacas finas que leva a outro platô. Parada dupla. 50m, IV SUP.

3a enfiada – A enfiada segue pela oposição em arco até a metade, depois, saia da oposição e busque uma fenda frontal que está à esquerda. Siga pela fenda e ao final faça uma travessia à esquerda até o platô. Parada natural. 50m, III.

4a enfiada – No platô, caminhe uns 5m até encontrar uns blocos, suba por ali em direção a a um diedro e depois à direita até encontrar a parada dupla em grampos da via “Dupla Face”.

Data da conquista: 04/08/2019

Conquistadores: Maísa Baratela, Naoki Arima, “Riva” Soares.

Equipos: 2 cordas de 60m;
2 jogo de Camalot #.3-#3;
1 jogo de nut;
Fitas longas.

2a enfiada – A escalada começa pela fissura frontal de dedo protegida em móvel (peças pequenas) até a chapeleta. Depois segue em travessia pela face até a segunda fissura que leva à parada fixa da via após virar uma oposição. 50m, IV SUP

4a enfiada – A enfiada começa onde o platô acaba, bem à esquerda do grande platô. A parada é em árvore. Recomenda-se estender bem a parada. Começa numa fissura frontal com uma árvore no meio e depois segue pela fissura do lado até sumir. Neste ponto, a via sai da fissura e sobe pela aderência até o platô, onde há um totem. Parada em móvel (peças médias). Enfiada exposta. 50m, V.

5a enfiada – Enfiada fácil que sobe pelo totem até a pedra perder inclinação. Cuidado com os blocos soltos. Parada natural em árvore. 50m. III.

Descida – Mesma descida da via “Boca Seca” ou descida pela via “Dupla Face”.

No grande platô da terceira enfiada, à esquerda da 4a enfiada da via Boca Seca há uma variante de III grau conquistada pelos escaladores Eric Penedo e Zé Márcio. Sem parada, segurança de corpo.

Descida – Da parada da “Dupla Face”, desça até a próxima parada da via (caminhando) e depois faça um rapel de 60m em direção à via (P2). Da P2 um longo rapel de 58m leva ao platô de mato, onde há um cordelete abandonado numa árvore. Depois, um rapel curto (30m) leva ao solo.