Retrospectiva 2019

  • Amanhecer no cume do Forno Grande (2039m).

O ano está quase acabando, então chegou a hora de fazer uma pequena retrospectiva. Em termos de escalada, 2019 foi um ano bem ruim. Começamos o ano numa angústia sem fim que perdurou por horas, dias e semanas.

Março

Em março fizemos uma singela homenagem ao nosso querido Amaral em Venda Nova do Imigrante. Nos reunimos, oramos e batizamos o muro que ele construiu no campus IFES de “Muro de Escalada Fabrício Amaral”.

Leia mais aqui.

Foto oficial do evento.

Maio

Em maio rolou um encontro informal de boulder num pequeno setor de escalada chamado “Ibiraboulder” na cidade de Ibiraçu, distante a apenas 50km da capital. Ao que me consta, este foi o primeiro encontro de boulder do Espírito Santo. Acho que todo mundo mandou pelo menos um boulder e furou um dedo!

Leia mais aqui!

Galera que esteve presente no evento.

Junho

Em junho aconteceu a nona edição da Abertura da Temporada de Escalada em Castelo. É claro que a “temporada” chegou um pouco depois do planejado e tivemos que adiar o evento em uma semana por causa das chuvas. Mas no fim deu tudo certo! A cobertura do evento está aqui!

Foto oficial do evento.

Julho

Em julho rolou mais uma iniciativa espontânea, dessa vez lá no muro da ACE, onde aconteceu o “Arraial da Escalada”. Um encontro regado a boulder e muita comilança. E evento também serviu para levantar fundos para construção do muro vertical.

Festa a caráter!

Leia mais aqui

No mesmo mês, aconteceu a escalada inaugural de “reabertura” do Pico do Forno Grande em Castelo, com a presença do governador do Estado que queria ver o nascer do Sol do cume!

Leia mais aqui!

Foto oficial.

Agosto

Em agosto tivemos a ingrata notícia de que uma tirolesa comercial estava sendo construída no Morro do Moreno, em Vila Velha. Nos organizamos para fazer bastante barulho e chamar a atenção, mas infelizmente não conseguimos reverter a situação. Até onde sei, os cabos foram instalados e ao que tudo indica, no verão teremos muitos gritos de “uhuuuu” e “radical” por lá.

Para inaugurar o novo muro vertical que foi construído com a verba levantada no Arraial, foi realizado no muro da ACE, a “Noite das Fitas”, um pequeno festival de boulder, sem compromisso, para reunir a galera e fazer um pouco de força. Leia mais aqui.

Parte da galera que esteve no evento.

Novembro

Em novembro, mesmo com muita chuva, aconteceu na cidade de Venda Nova do Imigrante, o XII Encontro Capixaba de Escalada. A chuva pode até ter nos tirado da rocha, mas a galera aminada foi para o “Muro do Amaral” e passamos a tarde fazendo uma boa sessão de boulder. Leia mais aqui!

Foto oficial do evento.

Conquistas

Em termos de conquistas, 2019 foi um ano normal. Segundo consta, foram conquistadas 18 vias tradicionais e 23 esportivas.

Vias esportivas

Sem sombra de dúvida, esse foi o ano da Parede de Uliana que contribuiu com a maior parcela, foram 20 vias totalizando 42 vias no local.

Jana na via “100% arábica”.

Totem da Lajinha – Afonso Cláudio

  1. Biscoito Sortido

Guarapari

  1. Bandeira Vermelha

Uliana

  1. Armagedon
  2. Astronauta de Pedra
  3. Avenida Apiário
  4. Bola de fogo
  5. Café cereja
  6. Café com prosa
  7. Café intenso
  8. Café sem prosa
  9. Café suave
  10. Chococcino
  11. Filé Miau
  12. Flor de Março
  13. Mamangava
  14. Mestre Amaral
  15. Moagem fina
  16. Reserva de Mercado
  17. Só o climb salva
  18. Três corações
  19. Três Corações Premium
  20. Zangão

Pedra do Diamante – Domingos Martins

  1. Diamante bruto
  2. Rua sem saída
  3. Sai Cipó entra móvel

Vias tradicionais

Já as tradicionais foram bem variadas com contribuições de diversos conquistadores de todo Estado e fora.

  1. Verruga (3, IV, E3, D2, 440m) – Pedra Córrego do Braz, Baixo Guandu
  2. Cadê o grampo (3o, IV, E3, D2, 294m) – Barra de São Francisco
  3. Garrafada do Norte (5o, VI, E2, D3, 425m) – Pedra Botelha, Boa Esperança
  4. O pecado mora ao lado (3o, IV, E3, D1, 195m) – Pedra do A2, Ibiraçu
  5. Sorte de Principiante (3o, IV, E3, D2, 190m) – Pedra do Barro Preto, Itaguaçu
  6. Dando a volta por cima (3o, IV, E3, D2, 230m) – Pedra da Onça, Itarana
  7. Picada da Onça (4o, IV, E3, D2, 465m) – Pedra da Onça, Itarana
  8. A Resistência (7o, Xa, E3, D5, 725) – Pedra da Fortaleza, Nova Venécia
  9. Mãe da Lua (6o. VIIa, E3, 235m) – Pedra do Dedo, Nova Venécia 
  10. Até você guia (4, IV SUP, E1, D1, 200m) – Pedra da Boca, Pancas
  11. Jogo Rápido (3o, IV SUP, E3, D1, 230m) – Pedra da Cara, Pancas
  12. Boca Seca (4o, IV SUP, E3, D1, 200m) – Pedra do Tubarão, Pancas
  13. Fissura das Deusas (4, V, E3, D1, 240m) – Pedra do Tubarão, Pancas
  14. Só o homem penitente passará () – Pedra dos Bragattos, Afonso Cláudio
  15. Vésper (5, V SUP, E2, 75m) – Monte de Vênus, Atílio Vivácqua
  16. Amigos do peito (4, E2, 60m) – Peitos de Moça, Atílio Vivácqua
  17. Divinas Tetas (4, E3, 60m) – Peitos de Moça, Atílio Vivácqua
  18. Cruzeiro Novo (4o, V SUP, E2/E3, D1, 130m) – Pedra do Cruzeiro, Cachoeiro de Itapemirim

Se eu deixei passar alguma via em branco, favor comentar no campo abaixo.

No mais, um feliz ano novo e um próspero 2020 a todos!

Postagens relacionadas

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.